O espetáculo Lady Gaga

Quando Lady Gaga entra em palco, deixa tanta gente encantada que não sabemos dizer se o que a gostosa mais faz é produzir deslumbrados ou mudar de cara. Afinal, Gaga é, na verdade, muitas outras Gagas, que, em cada uma delas, muitas são as suas excepcionalidades! Por isso, não é de se estranhar que ao lado de Michael e Madonna, Lady não divida, mas use o seu próprio trono para animar a noite da realeza. Madonna, com sua esnobes de… Madonna(!) até tenta esconder seu indicador de bateria em cem por cento, lançando sua tradicional dança com os olhos, para, no minuto seguinte, não resistir e ir nos passos de Lady! Mas o espetacular mesmo é a reação do Rei. Como que numa nova coreografia, Michael desaba a chorar, meio que por saudade e meio que por euforia. A saudade é do colorido da América, e a euforia é da constatação de como a América sempre está a ampliar essa palheta. Ingleses, irlandeses, africanos, franceses, alemães, italianos, orientais, latinos, árabes e indianos, todos eternos colonos de uma terra que não pertence a ninguém senão à liberdade. O espetáculo americano é o espetáculo Lady Gaga. 

Isaias Bispo de Miranda – 15 de maio de 2018

Isaias Bispo de Miranda é violoncelista com formação na Escola de Música do Estado de São Paulo (EMESP). Graduando do bacharelado em Ciências e Humanidades e do bacharelado em filosofia, ambos na Universidade Federal do ABC (UFABC), estuda a obra do filósofo alemão Peter Sloterdijk pelo Centro de Estudos em Filosofia Americana (CEFA), onde também é membro.

Gostou? Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *