O que é ser de esquerda? Fala, Deleuze!

Não é novidade alguma dizer que Gilles Deleuze é um dos filósofos com pensamentos mais ricos do século XX. Chamou-me muito a atenção uma entrevista concedida por Deleuze, em que uma entrevistadora pergunta para o filósofo francês se ele é de esquerda. A resposta dele não poderia ter sido mais brilhante por ser tão original e esclarecedora.

Em primeiro lugar, Deleuze diz que não acredita que exista um governo de esquerda. A esquerda, segundo o filósofo francês, é uma questão de percepção. Existem, claro, governos que podem ser mais favoráveis à esquerda ou não. No entanto, perceber a necessidade de direitos básicos daqueles que são mais frágeis – seja do seu país seja de outros lugares no mundo – e lutar para que tais direitos sejam conquistados é o que faz uma pessoa se definir como alguém de esquerda. Isso significa que ser de esquerda não é almejar poder político nem ser uma espécie de “salvador” do povo, como muitos acreditam ser.

Em segunda lugar, Deleuze também declara que um governo, quando chega ao poder, representa a maioria do povo; maioria esta que dita um padrão. E isso, por si só, não pode ser a esquerda. A esquerda tem como base as minorias que possuem, cada um a seu modo, um devir. Trata-se de grupos que estão passando por alguma construção cultural e social. Nela, estão incluídas as mulheres, os negros, os deficientes, as crianças, entre outros. A esquerda seria, então, um conjunto de processos do devir minoritário.  Nesse sentido, Deleuze expande a noção do que é a esquerda, tirando-a do âmbito histórico-político para colocá-la no âmbito sócio-cultural. Ele conclui a sua fala, dizendo: “Enquanto a maioria não é ninguém, a minoria é todo mundo”.

Por isso, eu digo: sou de esquerda, mas não venham me cobrar apoio a governos de esquerda. Isso, definitivamente, não condiz com a minha concepção sobre o que é ser de esquerda.

Assistam ao vídeo com a entrevista: https://www.youtube.com/watch?v=W2f4Hw8cvv0

Doutoranda em Letras Vernáculas pela UFRJ. Pesquisa a comunicação na fala por uma via experimental. Professora de Língua Portuguesa e Literatura. Pesquisadora colaboradora no Centro de Estudos em Filosofia Americana.
http://lumamirand.blogspot.com.br/
Gostou? Compartilhe:

3 thoughts on “O que é ser de esquerda? Fala, Deleuze!

  1. Resposta interessante…. mas ainda fico com a impressão que não foge daquela velha lógica, segundo a qual ser de esquerda é ser bonzinho e ser de direita é ser opressor. Quatro patas ruim, duas bom.

    1. Sério? Eu consegui entender o conceito sem quaisquer tipos de juízo de valor. Repare na entrevista que Deleuze não opõe essa noção de esquerda à existência de alguma direita. Como eu falei, ele renovou o conceito, apesar de usar o mesmo termo, retirando-o do campo da política. Se formos para o âmbito da política, podemos encontrar membros tanto da direita quanto da esquerda que possuem essa percepção citada pelo Deleuze na entrevista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *