O que é ser de esquerda? Fala, Deleuze!

Não é novidade alguma dizer que Gilles Deleuze é um dos filósofos com pensamentos mais ricos do século XX. Chamou-me muito a atenção uma entrevista concedida por Deleuze, em que uma entrevistadora pergunta para o filósofo francês se ele é de esquerda. A resposta dele não poderia ter sido mais brilhante por ser tão original e esclarecedora.

Em primeiro lugar, Deleuze diz que não acredita que exista um governo de esquerda. A esquerda, segundo o filósofo francês, é uma questão de percepção. Existem, claro, governos que podem ser mais favoráveis à esquerda ou não. No entanto, perceber a necessidade de direitos básicos daqueles que são mais frágeis – seja do seu país seja de outros lugares no mundo – e lutar para que tais direitos sejam conquistados é o que faz uma pessoa se definir como alguém de esquerda. Isso significa que ser de esquerda não é almejar poder político nem ser uma espécie de “salvador” do povo, como muitos acreditam ser.

Em segunda lugar, Deleuze também declara que um governo, quando chega ao poder, representa a maioria do povo; maioria esta que dita um padrão. E isso, por si só, não pode ser a esquerda. A esquerda tem como base as minorias que possuem, cada um a seu modo, um devir. Trata-se de grupos que estão passando por alguma construção cultural e social. Nela, estão incluídas as mulheres, os negros, os deficientes, as crianças, entre outros. A esquerda seria, então, um conjunto de processos do devir minoritário.  Nesse sentido, Deleuze expande a noção do que é a esquerda, tirando-a do âmbito histórico-político para colocá-la no âmbito sócio-cultural. Ele conclui a sua fala, dizendo: “Enquanto a maioria não é ninguém, a minoria é todo mundo”.

Por isso, eu digo: sou de esquerda, mas não venham me cobrar apoio a governos de esquerda. Isso, definitivamente, não condiz com a minha concepção sobre o que é ser de esquerda.

Assistam ao vídeo com a entrevista: https://www.youtube.com/watch?v=W2f4Hw8cvv0

Doutoranda em Letras Vernáculas pela UFRJ. Pesquisa a comunicação na fala por uma via experimental. Professora de Língua Portuguesa e Literatura. Pesquisadora colaboradora no Centro de Estudos em Filosofia Americana.
http://lumamirand.blogspot.com.br/
Gostou? Compartilhe:

5 thoughts on “O que é ser de esquerda? Fala, Deleuze!

  1. Resposta interessante…. mas ainda fico com a impressão que não foge daquela velha lógica, segundo a qual ser de esquerda é ser bonzinho e ser de direita é ser opressor. Quatro patas ruim, duas bom.

    1. Sério? Eu consegui entender o conceito sem quaisquer tipos de juízo de valor. Repare na entrevista que Deleuze não opõe essa noção de esquerda à existência de alguma direita. Como eu falei, ele renovou o conceito, apesar de usar o mesmo termo, retirando-o do campo da política. Se formos para o âmbito da política, podemos encontrar membros tanto da direita quanto da esquerda que possuem essa percepção citada pelo Deleuze na entrevista.

      1. Gostei,esclarecedor. Só uma duvida,esquerda para Deleuze seria toda uma minoria contrario aos direitos sociais?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *