Pragmatismo para os millennials

Pragmatismo para os millennials

Há alguma tendência para rejeitarmos a idéia “não é importante se o gato é preto ou branco, desde que pegue ratos”. É um princípio pragmático, nossos tempos não gostam de princípios pragmáticos, porque estamos numa era muito ideológica.
Isso é fácil de explicar. As pessoas, após a queda da URSS, não querem muito falar sobre política.
A política causou tantas tragédias em países como o Vietnã, Sérvia, Croácia, Bósnia, etc. Ela é a razão para os conflitos na Polônia, na República Tcheca e na Rússia também. E é a causa de tantas dores em países como o Brasil, Argentina, Chile, Angola, etc.
Quando há uma potência que parece vencedora em um grande conflito, é normal que no final deste século, e no começo do próximo, as pessoas sejam menos politizadas.
Mas os filhos deste povo, a geração após a Guerra Fria, têm uma capacidade que nenhuma outra geração tem na história. Eles têm a capacidade de falar sobre todos os assuntos com pessoas em todo o mundo. E eu acho que essa capacidade, aliada a contradições que são constitutivas do “Zeit-Geist”. Contradições como o excesso de otimismo no final do século, otimismo com a internet em suas possibilidades, como negócios ou comunicações. Nos países que não estão aliados com o primeiro mundo (EUA) nem o segundo mundo (URSS), chamados de “terceiro mundo” são transformados nos países em desenvolvimento, ainda com a referência para o sucesso na potência do vencedor.
Todo esse fator é tão desinteressante para uma nova geração. A não existência do refúgio após uma ou duas décadas de estudo faz com que a geração nascida na Internet faça oposição contra os pais não-politizados.
Essa geração tão politizada pode fazer nosso caixão quando ela, como eu acredito que seria em um momento tão ideológico, mata o pragmatismo. Ela mata a ideia “não importa a cor do gato se ele pega mouses”. E esta é a morte de tantas soluções, tantas inovações quando você perde a capacidade de pensar na fronteira de uma ideologia, uma escola de pensamento, etc.
Acho que poderíamos usar muitos pensadores pragmáticos para mostrar como fazer pensamentos que cruzam as fronteiras das escolas de pensamento, das ideologias.

Links:

Sobre a citação de Deng Xiaoping:

https://youtu.be/zjiqHD1cqEg
https://youtu.be/B43YEW2FvDs

Escritor.

Gostou? Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *