Renan Calheiros: o sapo que a esquerda engoliu!

Renan foi íntimo de Lula e Dilma. Com Temer não se bicou muito. O Senador alagoano, mesmo envolvido em inúmeros escândalos, tornou-se o todo poderoso do Senado da República. Chegou lá pelo seu padrinho Lula, e viu a madrinha Dilma e o papai Temer manterem esse seu status. Aliado de todos em tudo quanto foi ocasião, soube costurar seu tapete de forma a não pisar no chão. A República para Renan se tornou a extensão de sua casa. O Congresso, não mais do que sua sala, e o Senado, seu escritório. Mas a República,… ah a República…. difere de Renan em um ponto fundamental: balança, mas não cai. O senador não pode mais dizer o mesmo, pois caiu hoje da Presidência da casa numa tacada certeira do Supremo.

Renan renunciou a Presidência da casa em 2007, mas não caiu. Viu seu nome ser envolvido em uma dúzia de inquéritos no Supremo Tribunal Federal, mas não caiu. Até mesmo citações na Lava Jato teve, mas não caiu. A alguns dias finalmente virou réu em uma ação penal, mas mesmo assim não caiu. Em todo esse tempo, Lula, Dilma e Temer estiveram ao lado de Renan. Agora no fim, mesmo Lula e Dilma estando afastados de Renan, não possuíam nenhuma mágoa do senador alagoano, e tão logo pudessem, se aproximariam do mesmo. Renan resistiu a tudo isso, mas não resistiu a pressão das ruas. Depois de um domingo com manifestantes em todo o Brasil conclamando “Fora Renan”, o peemedebista finalmente caiu. O coronelismo teve uma grande baixa na República.

O gozado de tudo isso é que a queda de Renan afeta muito mais a esquerda, em especial o PT, do que a direita, o PMDB e o governo Temer. Isso porque a queda de Renan se deu depois de manifestações de rua puxadas pela direita e com participação de partidos como PSDB e DEM. A ausência da esquerda foi gritante. Isso mesmo que você leu. O povo foi as ruas contra a corrupção e pedindo a queda de Renan, e a esquerda nem apareceu, ficou em casa quietinha. Justamente a esquerda, que sempre foi o bastião na luta contra a corrupção, vai ter que engolir este sapo: a direita levou o povo as ruas e derrubou o corrupto Renan Calheiros da Presidência do Senado Federal.

Mais do que nunca o acontecido mostra como a esquerda brasileira está estraçalhada nesse pós-impeachment de Dilma Rousseff.  A necessidade de autopreservação – já que após a delação premiada da Odebrecht não sobrará pedra sobre pedra em Brasília – fez com que os partidos de esquerda se apequenassem de tal forma que se tornaram irreconhecíveis.

Aos militantes do PT e PCdoB da vida, que bravejavam ontem nas redes sociais que a manifestação era conservadora, machista, homofobia, da elite detentora do capital nacional, etc, etc, etc, agora durmam com essa: eles derrubaram Renan Calheiros ao irem para a rua neste domingo que passou, enquanto vocês chupavam dedo em casa. As ruas saem mais fortalecidas que nunca. A Lava Jato ganha força, e as manifestações de combate a corrupção ganham fôlego. A República sai renovada depois das manifestações de ontem, e do afastamento de Renan.

A esquerda resta apenas o silêncio. Afinal, não podem sequer comemorarem a queda de Renan, pois criticaram duramente as manifestações que o derrubaram. Para a esquerda, a manifestação nem deveria ter ocorrido. Mas ocorreu, e Renan caiu. Esperemos pelos próximos capítulos do combate a corrupção. Espero que o PT e seu amigos não paguem mais mico do que já estão pagando.

Licenciado em História pela UFRuralRJ, cursando especialização em Ensino de História pelo Colégio Federal Pedro II. Professor de História da rede pública no Rio de Janeiro. Pesquisa história antiga, especificamente Jesus Histórico, judaísmo, Judeia Romana e Cristianismo Primitivo.
Gostou? Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *