Uns egoístas

O que os movimentos por moradia têm feito por aqueles que morreram e por quem ainda sofre com a falta desse direito? Vejo-os dedicados à autodefesa, e não fazendo nada de efetivo pelas causas que dizem defender. Aliás, a esquerda que temos é como aquele indivíduo que só faz besteira e que vive se justificando, sempre encontrando um jeito de se achar certo.

Tocqueville apontou que, na sociedade igualitária, um indivíduo se vê com tanta razão quanto o outro. Este indivíduo tem ao menos uma boa razão para isso: a hierarquia de sangue ficou no velho continente. Isso leva a uma autosuficiência de julgamento das coisas e de si mesmos.

Num mau caminho, porém, esse indivíduo não sente mais vergonha, pois os olhos do outro não o inibem mais. A lei torna-se o único parâmetro moral objetivo. Então as leis aumentam o espectro do que é culpável. Mas, como não há vergonha, ser culpado não dói tanto.

Lula e seus seguidores brigam com a lei, não importando o que o primeiro faça. São sem-vergonha, e Lula quase exibe orgulho por seus ilícitos. Nessas pessoas, os ideais generosos da esquerda, sem dúvida ligados à vergonha de se viver num mundo injusto, não encontram mais sustentação psicológica. São dedicados à auto-justificação.

Gostou? Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *