Votar nulo

Os cidadãos brasileiros têm o direito de votar. Direito não é dever. Os cidadãos brasileiros não têm o dever de votar. A multa que se paga é irrisória. Indo votar, há o direito de se anular o voto.

Já vi muitos afirmando que um voto em branco conta a favor do candidato mais bem votado na eleição. Isto é falso, pois a lei eleitoral diz que todo voto anulado é contado à parte, sobrando para os candidatos apenas os votos válidos.

Quem afirma aquilo quer o que, impor o dever de votar às pessoas? A escolha de um representante público deve ser livre, e o homem entende-se livre se puder agir racionalmente.

Anular o voto certamente não é uma atitude menos livre do que votar por imposição, por um terror quanto ao candidato rejeitado por quem impõe o dever de votar.

Anularei meu voto porque não concordo com o sistema de indicação de candidatos. Como um motivo secundário, anulo porque discordo dos candidatos presentes no cardápio. Não votarei naquele com quem discordo menos apenas porque há um candidato conservador e nazista com muitas chances de ganhar.

Talvez, hoje, anular o voto não tenha qualquer efeito. Mas, não é por isso que não se deve pensar a respeito.

Seria uma ampliação no direito de escolha, não?

Gostou? Compartilhe:

One thought on “Votar nulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *