EAD ou a distância do ensino à distância

  Acredito que a partir desse momento já tenhamos uma vasta crítica sobre essa modalidade de ensino e que todos já estamos cientes da ineficiência dele. Porém, por diversas vezes se fala muito na dificuldade material, como acesso a internet e a dispositivos necessários para esse tipo de ensino. No entanto, no meu ver, não é difícil um governo populista qualquer chegar a querer “dar educação” distribuindo celulares e internet de graça para alunos – inclusive, é bem possível que seja “O programa social do século” !! Todo mundo com internet e celular, sem comida, sem casa, sem nada !! Então, o “grande problema” não é só essa questão do acesso aos meios “essenciais” do EAD, mas como também não adianta querer dar uma educação fixada nessa ideia de que a escola é o único lugar de aprendizado – do que adianta tirar o espaço da escola, sendo que muitas vezes, outros espaços, esse mesmo aluno é expulso, como por exemplo, de praças, quadras, parques, ou até mesmo, alunos que muitas vezes a casa é a ponte que a polícia vez ou outra vai lá expulsar quem tá lá. 

  A educação de certo modo é algo geral da sociedade e a escola é onde nós vamos, com nossos corpos, tendo que muitas vezes ir longe para chegar, lidando com a dificuldade do transporte e tudo mais, para juntos estudarmos. Inclusive questões ritualísticas como organizar um horário para se arrumar, se alimentar, questões como interpretar um mapa para conseguir ir e voltar – essas diferentes vivências se reúnem num local para aprender. Uma aula de geografia por exemplo, se torna muito mais interativa e interessante para um ribeirinho que todo dia precisa viajar pelo rio para chegar na escola, que não é a situação “ideal”, mas é uma chance de aprendizado. É muito melhor inclusive, ele conseguir ter essa vivência para entender que abrir uma estrada no meio da floresta destruiria ela e que de certa forma, a escola deveria ter na cidade onde ele mora, politicamente inclusive ele ir lá discutir essa possibilidade, o próprio aluno também passa a ser um educador.

  Essa troca acaba sendo essencial para o ensino de todos os envolvidos e também gera conhecimento. É uma relação que faz, como eu disse, o interesse, ou o espanto, portanto, o próprio professor para se integrar nessa realidade (principalmente se você considerar que muitos vem de metrópoles distantes) ele precisa aprender coisas novas e esse aluno, aprendendo pode no futuro ser um pesquisador que traga esses conhecimentos para academia. Se a gente lembrar que grande parte do Brasil fica no interior e nas metrópoles existe um distanciamento da cidade, dada a natureza desigual que ele possui. Essa discussão do aluno com o professor gera debates melhores na hora de pensar políticas públicas. Ao invés de reduzir o lugar da escola, como se quer fazer, se expande ela para toda a sociedade.

  O EAD nunca vai fazer isso !! Repito, um EAD nunca vai fazer isso !! Ainda que você seja “bonzinho”, pague internet e dê o dispositivo.

  Uma escola por EAD, ainda que seja live, por não ter o espaço sala de aula, por não ter o ritual de ir para a escola, por não ter comunicação e não estimular os sentidos, vai alienar esse aluno, ou seja, apresentar uma simulação de uma realidade que não existe em muitos casos, ela é falha. Talvez você ensine um passo a passo de como andar de bicicleta – mas a vida não é feita só de receitas prontas.

  Fora questões da ordem da relação professor-aluno. Você vai comparar : um professor que deu aula para mais de 5 mil alunos por EAD e outro que viajou por todo Brasil e deu aula pros mesmos 5 mil, qual dos dois é mais experiente ? O que nunca precisou conversar com um aluno ou um que teve que sempre conversar com seu aluno ?

  Vamos concordar numa coisa, a gente sabe se esses caras são qualificados mesmo nas áreas que dão aula ? O que garante que não são atores lendo frases prontas ?

  Para concluir quero deixar algumas perguntas : se eu tenho meia dúzia de professor de EAD, eu preciso ter um magistrado maior ? Pergunta final, esse professor sem aluno precisa se atualizar ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *