Feliz apocalipse !

Para ser bem sincera, eu adoro caos. Os meus momentos de maior alegria foram quando em 2013 houveram os protestos contra o aumento das passagens, contra a copa do mundo e as olímpiadas, e claro, por condições melhores de vida.

 

Outro momento marcante foi quando Temer, com 95% de rejeição ia supostamente tomar um impeachment do congresso, por conta da pressão popular e tal. Logo logo, como mágica, o vampirão que dizia que o Brasil não tinha dinheiro e precisava do teto de gastos e das tais reformas (que vamos nos referir como cavalheiras do apocalipse), do nada, ele arranjou um dinheiro para comprar cada congressista. O Brasil tinha dinheiro, mas não para nós.

 

Por fim, 2018. Oh ano ruim viu. Para mim pessoalmente e para todo mundo acredito. A disputa era Bolsonaro contra Lula ! Desde janeiro se falava algo do tipo. Os liberais queriam um outsider fora da política e esse homem, horas era Dória, Luciano Huck, Moro e por fim, Bolsonaro que passava essa imagem por ser uma figura da internet (apesar de existir já por mais de 30 anos fazendo o que faz). Nunca se tiveram tantas opções de candidatos, da extrema direita para a esquerda (que de longe nunca foi radical), de ANCAPs como Amoedo para Cabo Daciolo propondo uma teocracia e denunciando a URSAL, passando por uma Marina mais ou menos mais ativa, um Ciro Gomes Lacrador e Boulos e Manuela D’ávila, um sendo do PSOL outro do PC do B, puxando saco para o desprestigiado PT.

 

Estava feita a desgraça. Sabemos bem no que isso deu, não preciso falar muito sobre.

 

Há uma coisa em comum nesses 3 eventos. Isso que eu quero que vocês notem. E é uma certa necessidade de mudança – mudar para o quê ? Essa é a pergunta.

 

2013 queria o fim do neoliberalismo, queria um Estado que parasse de fingir que não tem dinheiro e gastasse com sua própria população. Chega de privatizações, de custo de vida alto, de corte à educação, à saúde e que possamos ser felizes nesse país. Temer, um ser sobrenatural que provavelmente conversou com Milton Friedman vivo, quis mudar o Brasil para o inferno neoliberal típica de filmes como Blade Runner e cia, por isso, plantou a semente do teto de gastos e das 4 cavalheiras do apocalipse. 5 anos depois de 2013 – as esperanças aumentaram ! A necessidade de mudança se tornou urgente, ou o Brasil elegia alguém que mudasse tudo ou já era. Não importava quem, poderia ter sido o Cabo Daciolo ! Por mais absurdo que ele seja – Se era normal partido de esquerda com programa para remunerar banco, se era normal banqueiro querer virar presidente, ser era normal Bolsonaro ! Para o nosso azar, viram no Bolsonaro alguém que poderia trazer mudança, justamente por ser o mais absurdo de todos !

 

Daqui para frente temos que pensar numa resposta melhor para aquela pergunta de 2013 : Mudar para o quê ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *